.:: Ribeirão da Ilha
 
Seu conjunto arquitetônico é um dos mais bonitos e preservados da colonização açoriana.

O Ribeirão da Ilha foi uma das primeiras comunidades do Estado e a primeira de Florianópolis a ser habitada, no século XVI, pelos índios Carijós. O nome dado à praia origina-se de um pequeno rio ou ribeira, situado no local (ribeiracô em linguagem indígena). De acordo com historiadores, os primeiros navegadores portugueses e espanhóis chegaram por volta de 1506. Vinte anos mais tarde, o navegador Sebastião Caboto atravessou o Atlântico e veio para cá, e segundo informações, foi no Porto do Ribeirão que Caboto teria ancorado. Entre 1748 e 1756 houve a colonização efetiva da Ilha, desembarcando cerca de seis mil açorianos. Alguns autores contam que cinquenta casais estabeleceram-se no Ribeirão da Ilha. Localizado a 36 quilômetros do centro de Florianópolis, o Ribeirão da Ilha é composto por várias praias pequenas, de águas calmas e areia grossa. É considerado um dos poucos lugares do litoral Sul do Brasil que conserva bem os traços da colonização portuguesa. Um passeio até a praia é uma volta aos costumes e cultura açorianos.

Logo quando se chega, percebe-se os traços definidores desta cultura ainda preservados de forma original e intensa. Seu conjunto arquitetônico é um dos mais bonitos e preservados da colonização açoriana em Florianópolis. As casas, em sua maioria, possuem paredes rosas com janelas amarelas ou brancas. Ou verde com azul. As cortinas também chamam a atenção, quase todas feitas de renda. Além disso, é comum a presença de pessoas debruçadas na janela, apreciando o movimento do lado de fora, ou proseando com alguma comadre que por ali passa. Um dos principais pontos turísticos a Igreja Nossa Senhora da Lapa fundada em 1806 está relativamente bem conservada. Também podemos encontrar venda de Artesanato e o Ecomuseu (que guarda documentos e algumas peças que contam a história da região). Estes são alguns exemplos de lugares típicos de Florianópolis que também estão situados no Ribeirão da Ilha.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Copyright © 2013 - Portal Caieira da Barra do Sul - Todos os direitos reservados