.:: A Festa da Santa Cruz
 
As Santas Cruzes são um dos marcos históricos culturais mais antigos na Ilha de Santa Catarina. Herança portuguesa presente em todo o País, faz alusão à primeira missa no Brasil, celebrada pelo frei Henrique de Coimbra - uma das primeiras providências tomadas pelos descobridores da nova terra. Além da proteção divina, tinham como objetivo consolidar a fundação e delimitar o espaço físico de um novo povoado. Serviam de altar para novenários e como locais para celebrações variadas, além de serem garantia de proteção contra seres fantásticos como bruxas e lobisomens.

Na década de 60, o pesquisador da cultura popular Franklin Joaquim Cascaes documentou todas as santas cruzes existentes na Ilha. Encontrou 36 delas, em sua maioria feita de madeira, com elementos decorativos que variavam de uma comunidade para outra. A Festa de Santa Cruz acontecia de 2 para 3 de maio e, no decorrer do ano, outros festejos que duravam de três ou quatro noites, quando as cruzes eram enfeitadas com bandeiras. Antigamente, todas as comunidades do interior da Ilha tinham pelo menos uma santa cruz, em cuja simbologia estavam todos os elementos da paixão e morte de Cristo. Atualmente, há poucas unidades, como a da praia do Saquinho, no Sul da Ilha, onde está uma das mais completas santa cruzes, em que a celebração constitui-se na única festa anual, com novenas combinando rezas, música, dança e bebida.
 
Elementos decorativos e Simbólicos
 
Coroa de espinhos - Simboliza o flagelo de Cristo.
Coração com chamas - Simboliza fé.
Galo - Simboliza a omissão a Cristo quando São Pedro nega tê-lo conhecido.
Martelo - Utilizado para cravar os pregos nas mãos e pés de Cristo.
Pregos ou cravos.
JNRJ ou INRI - Inscrição que significa Jesus Nazareno Rei dos Judeus.
Resplendor - Luz espiritual do Santo Cristo.
Lança dos soldados romanos - Que transpassou o sagrado coração de Jesus.
Escada - Etilizada para retirar o corpo de Cristo da cruz.
Torquês - Utilizada para arrancar os pregos que prendiam as mãos e os pés de Cristo.
Canas - Que serviam como cetro quando Cristo foi torturado e intitulado Rei dos Judeus.
Corneta - Que servia como arauto anunciando a morte de um condenado.
Cálice - Onde foi recolhido o sagrado sangue de Cristo.
Ossos humanos - Diz a lenda que, quando Cristo agonizava na cruz, no Monte Calvário, houve uma grande tempestade. A erosão escavou na base do Monte alguns ossos que seriam de Adão.
 
 
 
 
 
 
 
 
Copyright © 2013 - Portal Caieira da Barra do Sul - Todos os direitos reservados